segunda-feira, 3 de julho de 2017

Cratera na rodovia AL-101, em Passo do Camaragibe, coloca motoristas em perigo

Problema no asfalto fica entre Passo do Camaragibe e Barra do Camaragibe. Segundo o DER-AL, uma equipe deve ficar no local até que o transtorno seja resolvido  


Provocada pelas fortes chuvas que atingiram o estado, uma cratera se abriu nas margens da rodovia AL-101 Norte, no percurso entre Passo do Camaragibe e a Barra de Camaragibe, no litoral norte de Alagoas, colocando em risco os motoristas que passam no local.
Além da cratera, as chuvas contabilizaram outros transtornos na via. Em um trecho, toda a pista cedeu.
Já em outro trecho, repleto de curvas, o perigo era sinalizado com galhos de árvores. Segundo moradores, o local é mal iluminado, tornando ainda mais arriscado o fluxo de veículos no período da noite.
A Prefeitura do município disse já ter enviado ofícios para o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER-AL) informando a situação de perigo e pedindo providências.
Nesta segunda-feira (3), agentes do DER-AL estiveram no local para ajudar a sinalizar a via e orientar os motoristas.
Eles não quiseram gravar entrevista com a equipe de reportagem da TV Gazeta, mas disseram que uma equipe deve ficar no local até que o problema seja resolvido.


Postado por: Giovana M. de Araújo

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Ribeirinhos de Alagoas navegam até seis horas em busca de água potável

Mar tem avançado sobre as águas do Rio São Francisco em Piaçabuçu.
Moradores da região dizem que água que chega às torneiras é salobra.

O pescador Jorge Souza conta que navega para pontos distantes da foz duas vezes por semana para conseguir água boa para consumo. “A gente acorda aqui 4 horas da manhã para arrumar os vasilhames, são pelo menos três horas para ir e três horas para vir".

O pescador Jorge Souza mostra garrafas de água doce que armazena para o consumo da família (Foto: Waldson Costa/G1)

O drama dos ribeirinhos é maior porque a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) capta água do rio para abastecer o município. Mas ela garante que a água é tratada e analisada antes de seguir para o consumidor com os padrões exigidos pelo Ministério da Saúde.
Para isso, técnicos da Casal captam água apenas na maré baixa e em determinados horários onde a concentração de sal é menor. Contudo, os ribeirinhos ainda se queixam da qualidade.
“A água que temos nas torneiras é tão salgada que não serve nem mesmo para cozinhar ou lavar roupa. Quando precisamos lavar roupa, vamos até alguns canais que estão do outro lado, onde a água é melhor. A água daqui só serve mesmo para limpeza da casa”, diz a dona de casa Maria Eunice.
O problema é grave e virou tema de pesquisa na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). O oceanógrafo Paulo Peter analisa os impactos ambientais e sociais da salinização do rio. Ele afirma que já é possível notar no estuário a morte da vegetação típica de água doce, substituição dos peixes de água doce pelos de água salgada e inviabilização da água para o consumo humano.
"Para os padrões técnicos, a água doce pode ter até 1/2 grama de sal por litro. Nas coletas que fizemos próximo ao povoado Potengy, encontramos variações de 6 a 7 gramas de sal por litro, salinidade que deixa o líquido impróprio para o consumo humano", alerta Peter.
Com tanto sal na água, os problemas de saúde vêm aumentando na região. “Minha esposa, meu sogro e minha sogra estão com problemas de pressão alta. Dizem que é por conta deste sal na água do rio e da água que bebíamos. Até minha filha, que é criança, adoece quando bebe”, lamenta o pescador Souza.

Postado por Giovana M. de Araújo

sábado, 7 de maio de 2016

Recuperação de nascente leva água potável para famílias de Porto Calvo


Projeto da Semarh capacita população para atuar como agente fiscalizador de área recuperada

Duas nascentes revitalizadas pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) foram entregues à população de Porto Calvo, durante as atividades do Governo Presente, na tarde desta sexta-feira (6).
O Programa de Recuperação de Nascentes, desenvolvido pela Semarh, iniciou os trabalhos de restauração em março na Fazenda Comandatuba, local onde está localizada a nascente. O trabalho foi realizado pelo técnico Adolfo Barbosa com incentivos da prefeitura. De acordo com ele, 10 mil pessoas foram beneficiadas pelo projeto.
O governador Renan Filho, o secretário de Estado de Recursos Hídricos, Alexandre Ayres, lideranças comunitárias e políticas participaram da entrega da nascente em Porto Calvo. Ao falar sobre o trabalho desenvolvido e ampliado pela Semarh, Alexandre Ayres destacou que o programa tem sido muito gratificante.
“Esta nascente em Porto Calvo possui uma vazão de 2.040 litros por hora. Havia uma demanda muito grande para ter acesso facilitado à água de qualidade na região. O programa tem chegado às comunidades distantes e difusas para reiterar que o governo tem como prioridade contemplar as famílias com um bem tão precioso para seus avanços sociais e econômicos”, avaliou o secretário Alexandre Ayres.
Recuperação de nascente leva água potável para famílias de Porto Calvo




Educação ambiental – Além do trabalho de recuperação, a Semarh apresentou às famílias que serão beneficiadas com a água da nascente, informações importantes para manter o local sempre protegido de animais, afinal, são os beneficiados que assumirão o papel de agentes de fiscalização, evitando danos para continuar usufruindo do recurso.​

Alagoas24HR
Postado por: Ygor I. Mendes

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Prefeitura de Maceió suspende multas aplicadas por pardais eletrônicos

Equipamentos eletrônicos foram desligados à meia-noite de quarta-feira.
Decisão foi tomada após determinação do Tribunal de Contas do Estado.


Pardais fiscalizam irregularidades de trânsito em diversos pontos da capital (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)Pardais eletrônicos foram desligados a partir das
0h desta quinta-feira (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
A Secretaria de Comunicação (Secom) informou, nesta quinta-feira (5), que a prefeitura de Maceió mandou suspender todas as multas aplicadas pelos pardais eletrônicos. O equipamento foi desligado à meia-noiteapós uma determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE).
A prefeitura afirmou, na última quarta-feira (4), que, apesar de atender ao pedido do TCE, uma defesa será apresentada à Corte de Contas de Alagoas. A data para a apresentação da defesa ainda não foi definida. Até segunda ordem, os equipamentos ficarão desligados.
A determinação foi motivada após uma denúncia do Ministério Público de Contas que, no dia 30 de março de 2016, afirmou ter encontrado várias irregularidades no contrato, firmado entre a empresa Velsis Sistema e Tecnologia Viária S/A, a Prefeitura de Maceió e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).
O procurador do MP de Contas, Rodrigo Siqueira Cavalcante, informou que a prefeitura aderiu à ata de pregão eletrônico feito pela Prefeitura de Aracaju, em Sergipe, o que é considerado legal. No entanto, o edital não traz a informação de que a ata se refere também à capital alagoana, o que caracteriza a irregularidade.
Cavalcante afirmou ainda que o contrato não faz menção ao montante na Lei Orçamentária Anual (LOA). Ele diz que quando a prefeitura faz um contrato, nele deve estar previsto a autorização orçamentária do município, o que também não foi feito.
G1GLOBO
Postado por : Ygor  I. Mendes

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

    Dilma garante água até o trecho cinco do Canal do Sertão
     
    Governador Renan Filho solicitou e presidenta assegurou que recursos não vão faltar 
    Opções
    Foto por: Agência Alagoas
    A redenção do povo sertanejo passa diretamente pelo bom uso da água do Canal do Sertão e esta água ficou mais próxima de quem mais precisa nesta quinta-feira, 5, com a inauguração do trecho três do Canal do Sertão, no município de Inhapi.

    O governador Renan Filho e a presidenta Dilma Rousseff abriram as comportas permitindo que mais de 77 mil alagoanos possam passar do sonho de ter água potável para a realidade de poder produzir e conviver com a estiagem prolongada.

    Renan Filho ressaltou que o Governo de Alagoas está enfrentando uma das secas mais violentas da história. O modo de enfrentamento é que é diferente. O governador está estimulando a convivência com a estiagem, robustecendo a operação carro-pipa e tocando obras hídricas, com o total e fundamental apoio do Governo Federal, como a Adutora do Alto Sertão, que será entregue entre dezembro/15 e janeiro/16; e a Adutora da Bacia Leiteira, que deve ser concluída em dezembro de 2016.

    “São obras, como o Canal do Sertão, que dignificam o povo sertanejo e dão condições de igualdade para que o pequeno produtor possa produzir e gerar alguma renda”, resumiu o governador dando este novo aspecto de convivência com o longo período sem chuvas.

     

    O governador convidou a presidenta para retornar ao estado quando acontecer a inauguração da Adutora da Bacia Leiteira, prevista para dezembro de 2016. Acompanhado do convite, Renan Filho emendou e solicitou a autorização para início das obras do trecho cinco do Canal do Sertão.

    Da presidenta, o governador recebeu um cordial e positivo aceno de que o sonho de água potável e de qualidade vai chegar até Arapiraca, quando a extensão da obra chegará aos 250 km.

    Dilma Rousseff fez um breve histórico do empreendimento hídrico e recordou que esta foi a quarta vez que viu de perto o Sertão não virar mar, porém um rio cortando o Semiárido, vindo de uma vez para transformar a realidade de seca desta parte do Estado.

    “Vim na autorização da obra, participei da inauguração do primeiro trecho, inaugurei os trechos dois e três; e virei, sem dúvida, na entrega dos trechos quatro e cinco, levando água até Arapiraca”, pontuou a presidenta.


     
    Na análise dela, o Canal do Sertão é uma das principais obras de convivência com a seca de que se tem notícia. “São 93 km de canal, levando água de qualidade a quem mais precisa. Estamos aqui viabilizando a modificação do cenário nordestino, ainda tão forte aqui. “São obras como esta que facilitam o acesso à água favorecendo milhões de alagoanos da pequena produção”, disse Rousseff.

    Em conversa informal com a presidenta, Renan Filho confidenciou que com os perímetros irrigados, oriundos do Canal do Sertão, o Governo de Alagoas tem a ideia de levar industrias de fruticultura para o Semiárido alterando definitivamente a economia local.

    Por fim, o discurso de emoção ficou por conta do prefeito anfitrião. José Cícero nasceu e se criou em Inhapi e admitiu que o entusiasmo é sem tamanho em poder ver um ‘rio’ cortando a terra árida de seu município.

    “É um sonho de tantas décadas que está barateando o custo dos carros-pipa e facilitando a instalação de poços artesianos onde o rio não pode chegar”, comemorou o gestor municipal. 

    Fonte: Agência Alagoas
  •  

sábado, 27 de junho de 2015

CARTA ENCÍCLICA
LAUDATO SI’
DO SANTO PADRE
FRANCISCO
SOBRE O CUIDADO DA CASA COMUM


1. «LAUDATO SI’, mi’ Signore – Louvado sejas, meu Senhor», cantava São Francisco de Assis. Neste gracioso cântico, recordava-nos que a nossa casa comum se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços: «Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras».[1]
2. Esta irmã clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la. A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos. Por isso, entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que «geme e sofre as dores do parto» (Rm 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gn 2, 7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos.

CONHEÇA A ENCÍCLICA, NA INTEGRA: 

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

BIOGEOGRAFIA - UFSM







Espécies Endêmicas nos biomas brasileiros




Como sabemos o Brasil é um pais rico em biodiversidade, isso devido a vários fatores como a sua grande extensão territorial e aos diversos climas que o país possui. Isso faz com que possua uma variedade muito grande de fauna e flora. Essa diversidade toda faz com que o nosso país seja um lugar de grande variedade de espécies endêmicas. Esse termos refere-se a espécies que ocorrem apenas em lugar na terra. Além disso a uma subdivisão entre as espécies endêmicas, que são as neoendêmicas e as paleoendêmicas. As neoendêmicas referem-se as espécies que se originaram e um determinado lugar e ainda não tiveram tempo de se disseminar para outras regiões, e as paleoendêmicas referem-se as espécies que estão em uma dinâmica regressiva e aquele é o único lugar onde a espécie sobrevive.
A partir disso vamos caracterizar algumas das espécies endêmicas que o Brasil possui, numa caracterização através de seus biomas (Mata atlântica, Cerrado, Pantanal, Caatinga, Floresta Amazônica e Campos sulinos).

...........................................................................

CAATINGA


Principal bioma da região Nordeste, possui uma área de aproximadamente 800.000 quilômetros quadrados, sendo que seus ecossistemas encontram-se bastante alterados. A biodiversidade de flora é média, sendo que cerca de 30% das plantas superiores são endêmicas. A fauna por sua vez é relativamente pobre se comparada com outros biomas. Alguns exemplos de espécies endêmicas são: mandacaru e o xique-xique.

LEIA SOBRE OS DEMAIS BIOMAS:

http://biogeografia-ufsm.blogspot.com.br/2010/06/especies-endemicas-nos-biomas_3710.html